Baleias Bitcoin inativas desde 2018 movimentam US$840 milhões durante o final de semana

Uma série de baleias Bitcoin que estavam inativas desde dezembro de 2018 viram movimento mais uma vez, adicionando mais de US$840 milhões da principal criptomoeda no fim de semana. 

A movimentação é notável, pois os dados on-chain sugerem que uma única entidade está por trás da movimentação.

Baleias Bitcoin se movimentam

Durante o fim de semana, quando a liquidez no espaço das criptomoedas estava em seu nível mais baixo, algumas das carteiras mais ricas da rede Bitcoin – classificadas entre 89 e 106, exceto a de número 90 – acumularam 28.377 BTC, valendo mais de US$840 milhões.

Todas as 17 carteiras BTC tinham 8.000 BTC adquiridos em dezembro de 2018, quando o preço da criptomoeda principal atingiu sua baixa de US$3.200 após um ano de baixa no mercado. 

As carteiras foram criadas no momento em que essas moedas foram adicionadas e permaneceram inativas desde então.

Quatro dessas carteiras receberam entradas de BTC exatamente na mesma hora no domingo, 18 de julho. Outras quatro adicionaram BTC ao mesmo tempo em 17 de julho, com mais três adicionando fundos no mesmo dia. 

Sete carteiras adicionaram 1.661 BTC, três adicionaram 1.693 BTC e três adicionaram 1.639 BTC.

Esperar por algo positivo?

Os movimentos mostram que a quantidade de Bitcoin mantida por baleias com entre 1.000 e 10.000 BTC subiu. Estes níveis foram vistos quando o BTC estava sendo negociado a US$57.000.

O momento das compras e o fato de elas terem ficado inativas pelo período exato de tempo sugere que uma única entidade controla todas essas carteiras. 

Se essa entidade é uma bolsa de criptomoedas que mantém fundos em nome de seus usuários, não está claro. Entretanto, os fundos que estão sendo adicionados durante as quedas do mercado sugiram o contrário.

As carteiras agora possuem mais de 164.000 BTC, valendo mais do que o valor mantido na tesouraria da MicroStrategy, que é 105.085 BTC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.