Bitcoin pode derreter até US$ 20 mil após perder suporte, afirma brasileiro

O preço do Bitcoin (BTC) opera em queda depois que registrou sua maior sequência de altas desde dezembro. Agora, a criptomoeda opera num terreno que pode levar a uma correção de 50%, de acordo com Bernard Pascowitch, CEO da plataforma de investimentos Yubb.

A perspectiva de preço e riscos de queda do BTC foram tema da análise semanal de Pascowitch no canal da Yubb no YouTube. “Poderemos ter novas quedas nos próximos dias caso alguns patamares não sejam alcançados e superados com força e com volume”, alertou.

BTC surpreendeu, mas não convenceu

Em primeiro lugar, Pascowitch destacou o histórico negativo do BTC, principalmente no mês de junho. De fato, a criptomoeda teve dos piores fechamentos semanais e diários naquele, quando o BTC atingiu sua mínima de US$ 29 mil.

Segundo Pascowitch, a tendência era que o preço mantivesse a tendência de queda. No entanto, o preço seguiu o caminho contrário, abrindo uma sequência de nove valorizações diárias consecutivas. Nesse sentido, o BTC surpreendeu ao voltar para a região dos US$ 40 mil. Desde o movimento atual, o preço registrou 40% de valorização frente ao seu fundo anterior.

Ainda que tal valorização tenha animado os investidores, o BTC falhou – mais uma vez – em criar um suporte. Porém, há um ponto positivo, visto que o BTC ainda está próximo da sua principal resistência, a região entre US$ 40 e US$ 43 mil.

Desde a correção da máxima história, o BTC tentou ultrapassar e se consolidar acima dos US$ 40 mil por 13 vezes. Em todas elas, não houve sucesso. Nesta última vez, o BTC chegou a encostar nos US$ 42.600.

Além disso, a cada falha, o preço logo voltou a cair, como aconteceu nos últimos dois dias. Em quatro dessas ocasiões, as quedas foram fortes, causando novos fundos. “Para eu acreditar que não vai ter um novo recuo, a região (vermelha) precisa ser ultrapassada”, afirmou.

Possíveis alvos de correção

Sem uma consolidação acima desta faixa vermelha, novas correções podem ocorrer. Pascowitch citou três regiões que, de acordo com a análise de Fibonacci, podem servir como suporte para novas altas. Essas regiões estão localizadas nos US$ 34.000, US$ 35.500 e US$ 37.000, respectivamente.

No entanto, uma quarta análise sugere que, na verdade, o preço do BTC pode cair abaixo dos US$ 20.000. De fato, isso pode ocorrer caso o BTC não consiga superar a retração de Fibonacci, atualmente em 61,8% de queda desde a máxima histórica.

Até o momento, o preço não chegou sequer perto disso. A retração está localizada precisamente nos US$ 47.472. Além do mais, não basta apenas o BTC atingir o preço e depois cair novamente. É preciso haver uma consolidação, afirmou Pascowitch.

Por outro lado, se o BTC não superar esta retração, o preço tende a perder força e acabar formando uma nova grande correção. Nesse sentido, o BTC pode desabar para a região dos US$ 19.500, uma queda de de 50% frente o preço atual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.