4 games com alto potencial de lucro para os jogadores, de acordo com empresário brasileiro

Por: Caio Prati Jobim

O sucesso explosivo dos jogos em blockchain se deve ao modelo “jogar-para-ganhar” (play-to-earn), nos quais os jogadores não apenas se divertem, mas também obtêm recompensas financeiras de acordo com seus desempenhos e podem gerar lucros extras através da comercialização de NFTs (tokens não fungíveis).

Tudo começou com o sucesso do “Axie Infinity”, cujo token nativo – o Small Love Potion (SLP) – tornou-se moeda corrente em países como as Filipinas e a Venezuela. O alto índice de adesão ao jogo se justifica pela possibilidade de os jogadores faturarem rendimentos mensais superiores ao salário mínimo que é pago nesses países. Mais do que hobby, tornou-se uma profissão.

Hoje, no entanto, é impossível participar do jogo sem um investimento inicial de R$ 1.000, pois são necessários três Axies – as criaturas fantásticas que são protagonistas das batalhas e aventuras virtuais – para estar apto a jogar.

Em reportagem no site Lance!, o especialista em games Antônio Neto Aisa deu quatro dicas de jogos que ainda podem proporcionar lucros interessantes para novos jogadores, considerando o capital inicial necessário à participação bem como a possibilidade de valorização dos NFTs relacionados e de seus tokens nativos e de governança.

Antes de apresentá-los vale mencionar o alerta que o empresário fez aos potenciais jogadores: 

“É preciso estudar bastante antes de entrar nesse mercado. Há muitas oportunidades, como também há muitas furadas, por isso é necessário entender todo esse universo e se manter sempre atualizado”.

Dois jogos já estão disponíveis. Os outros dois estão em desenvolvimento, porém os NFTs necessários para jogá-los já estão à venda ainda a preços acessíveis.

Revv Racing

O “Revv Racing” é uma simulação de corrida de carros desenvolvida em blockchain, porém com a estética e sensação de um jogo de videogame tradicional. No “Revv Racing”, os carros são tokens não fungíveis (NFTs) e todas as sessões de jogo são registradas na blockchain.

Revv Racing. Fonte: revvracing.com

O jogo já está disponível para jogar, “basta apenas comprar um carro, que é um NFT, na plataforma da Open Sea (considerada hoje o maior marketplace de NFTs do mundo), a partir de US$ 50”, disse Neto Ais. E completou:

“O jogo consiste em você participar de corridas em campeonatos semanais no qual são premiados os mil melhores pilotos, com prêmios que somam US$ 150 mil.” 

Mir4

Trata-se de um jogo gratuito, que pode ser jogado no celular ou em um desktop, do tipo MMORPG – uma espécie de RPG jogado online por múltiplos jogadores ao mesmo tempo. Este é um gênero muito popular entre os jogos de blockchain e o “Mir4” conta com uma grande base de jogadores brasileiros, disse Ais Neto.

O empresário afirmou também que os próximos passos previstos no roadmap do “Mir4” pode resultar em bons ganhos para os jogadores:

“Apesar dos ganhos atuais não serem tão altos, devido a carteira e a blockchain desenvolvidas por eles, vale a pena. Além de sua criptomoeda, a Draco, a empresa planeja lançar novos conteúdos em um futuro próximo, já que os seus NFTs ainda não foram lançados.”

Mir4. Fonte: Reprodução

Ember Sword

Ainda não lançado, “Ember Sword” é outro jogo do tipo MMORPG que mesmo antes do lançamento já está conseguindo criar comunidades em torno dos potenciais jogadores.

O jogo se passa na lua de Thanabus, a qual é dividida em quatro nações. Cada uma delas contém três tipos de territórios: a realeza, a natureza selvagem e a terra sem lei. Os desafios variam de acordo com o ambiente.

No início de agosto, 35 mil pessoas se inscreveram para adquirir os 6 mil terrenos de Thanabus que serão vendidos sob a forma de NFTs. A previsão é de que somente com a comercialização desses tokens não fungíveis dos domínios territoriais do jogo R$ 1 bilhão de reais sejam arrecadados.

Os demais jogadores que não estiverem dispostos a desembolsar quantias vultosas podem escolher uma tribo e uma nação para embarcar no que os desenvolvedores prometem ser uma aventura épica.

Ember Sword. Fonte: Twitter @PlayEmberSword

Portanto, não será necessário um investimento inicial para ter acesso ao jogo. Da mesma forma que alguns dos jogos convencionais de maior sucesso da atualidade, pense no Fortnite, “Ember Sword” foi desenvolvido a partir de um modelo comercial baseado em cosméticos como forma de gerar receita e financiar o desenvolvimento contínuo das experiências dos jogadores.

Porém, tratando-se de um jogo em blockchain, a proposição econômica de “Ember Sword” permitirá aos jogadores comprar e vender estes itens cosméticos dentro e fora do ambiente do game. Além desses NFTs colecionáveis, “Ember Sword” terá seu próprio token ERC-20 nativo tanto para movimentar a sua economia interna quanto para ser negociado em exchanges, beneficiando seus detentores diante de eventuais valorizações.

Star Atlas

É o mais ambicioso projeto de jogo desenvolvido na Solana, de acordo com Neto Ais, e talvez seja o mais grandioso projeto de jogo em blockchain desenvolvido até hoje.

“Star Atlas” se passa em um cenário de ficção científica e combina diversos gêneros: estratégia, pois os jogadores precisam interagir com outros jogadores e com as facções rivais; exploração, pois seu universo é vasto e diversas estrelas podem ser descobertas e investigadas; para alcançá-las é necessário navegar o espaço em simulações de voo; e, por fim, é preciso extrair recursos para gerar receitas em ATLAS, o token nativo do jogo, que, conforme noticiou o Cointelegraph anteriormente, teve uma valorização literalmente astronômica imediatamente à sua oferta inicial.

“Star Atlas” tem ainda um token de governança, o POLIS, que conferirá aos seus detentores poder sobre os desdobramentos do universo ficcional e econômico do game, e uma participação mais direta e ativa junto às decisões dos desenvolvedores.

Neto Ais explicou que o jogo ainda não foi lançado, mas os NFTs que serão imprescindíveis para tomar parte na aventura estrelar já estão disponíveis para compra. Há desde naves espaciais, trajes especiais até artefatos, combustível, entre outras coisas.

O grande diferencial desta aventura espacial, prometem os desenvolvedores, serão os efeitos visuais com qualidade de cinema. Por isso, antes mesmo de ser lançado, “Star Atlas” já alimenta expectativas de que poderá ir além da bolha dos jogos em blockchain, conquistando espaço no mercado mais amplo da indústria de games.

Star Atlas. Fonte: staratlasgame.medium.com

O jogo tem uma proposta econômica que une o mercado de finanças descentralizadas (DeFi) aos tokens não fungíveis (NFTs), com seu próprio marketplace, onde veículos, ferramentas e outros equipamentos úteis ao jogo já estão sendo negociados. Uma conexão com a DEX Serum permitirá que os jogadores utilizem seus ATLAS para fazer staking ou prover liquidez.

Outra particularidade de “Star Atlas” é que os jogadores poderão assumir uma profissão no universo do jogo e então monetizá-la prestando serviços a outros jogadores. Embora “Star Atlas” ainda não tenha uma previsão de lançamento definida, uma prévia que está sendo chamada de mini-game pelos desenvolvedores está prevista para ser lançada ainda este ano.

Ao mesmo tempo que, das quatro sugestões apresentadas por Neto Ais, “Star Atlas” é aquele que tem a maior barreira de entrada em termos de investimento inicial, também é o jogo que apresenta o maior potencial de lucros para os jogadores, dado o hype em torno do projeto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.