Bitcoin amanhece acima dos US$ 56 mil e Shiba INU sobe mais 20%

O mercado de criptomoedas começou esta segunda-feira (11) em clima de recuperação da leve instabilidade do final de semana. As principais criptomoedas do mercado passaram por leves baixas desde a última sexta-feira, mas voltaram a subir na manhã de hoje.

O Bitcoin, principal criptomoeda do mercado em capitalização, chegou a cair 0,48% neste domingo (10). No entanto, na manhã desta segunda-feira a moeda contava com uma alta de 3,14%, ultrapassando os US$ 56 mil. Este é o maior valor da moeda desde o dia 12 de maio de 2021.

A Ether, criptomoeda ligada a blockchain da Ethereum e segunda maior do mercado, também chegou a perder cerca de 4% no domingo. No entanto, na manhã desta segunda-feira, a moeda contava com uma valorização de 4,43%, sendo vendida a US$ 3.567. Este valor, no entanto, não representa a recuperação das quedas ocorridas em setembro.

Moedas meme acumulam alta e popularidade

As moedas meme, como Dogecoin e Shiba INU permanecem com movimentos de mercado tão grandes quanto sua popularidade. A DOGE, por exemplo, chegou a cair mais de 7% durante o último final de semana e, até esta manhã, recuperou apenas 2% do seu valor, chegando a US$ 0,23.

A SHIB também chegou a cair cerca de 4%, mas se recuperou e, nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira, já acumula 11% em alta, chegando ao valor de US$ 0,00002904.

Bitcoin abre a semana com o melhor resultado em meses

O Bitcoin inicia esta segunda-feira com o melhor desempenho entre as criptomoedas. Nos últimos 7 dias, a principal criptomoeda do mercado chegou acumular mais de 30% em alta. Hoje, a moeda ultrapassa o valor de US$ 56 mil.

Recentemente, JP Morgan disse que os investidores institucionais veem o Bitcoin como uma proteção melhor contra a inflação do que o ouro, sugerindo que o Bitcoin manterá ou continuará a aumentar em valor no futuro.

Enquanto isso, a China acrescentou a mineração de criptomoedas a uma lista preliminar de indústrias nas quais o investimento é restrito ou proibido.

Embora tenha reduzido o número de setores da lista em geral, um documento divulgado pelo planejador estatal na última sexta-feira, constava a mineração de criptomoedas, conforme relatado pela Reuters. A “lista negativa” detalha setores e indústrias que estão fora do alcance de investidores chineses e estrangeiros.

Os reguladores da China proibiram o comércio e a mineração de criptomoedas neste ano, com o banco central do país prometendo eliminar as atividades “ilegais” de criptomoedas no mês passado. As principais corretoras de criptomoedas do país contam com prazos legais para a retirada dos investidores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.