Bitcoin dispara e atinge nova ATH acima dos US$ 66,900 mil e segue em tendência de alta

Bitcoin entra em zona totalmente desconhecida

Ao superar sua alta histórica #ATH, o Bitcoin entra em uma zona totalmente desconhecida, ou seja, sem resistência à sua frente, onde literalmente o céu é o limite.

O preço da principal criptomoeda, tende a disparar ainda mais, pois os traders que estavam vendidos, precisam virar a mão e reentrar no mercado para obter novos lucros.

Deixando setembro para trás e entrando em outubro, mês que historicamente é vantajoso para o mercado de cripto, e principalmente para àqueles que fazem holding, vimos o mercado disparar quase que em sua totalidade.

Para aqueles que acreditavam que o Bitcoin havia morrido mais uma vez, ai está a resposta.

Desde que a China, tentou sem sucesso banir o Bitcoin mais uma vez, o ativo simplesmente dobrou seu valor desde então, superando sua marca histórica que era de US$64.895, atingindo no momento da escrita desta matéria incríveis US$66.900.

O banimento do BTC pela China, país que vale salientar, possui cerca de 1,4 Bilhões de habitantes, em toda a história, nunca foi suficiente para abalar a maior criptomoeda do mundo. Muito pelo contrário, sempre após uma tentativa, o Bitcoin se recupera e supera sua última ATH.

Vale lembrar também que nesta última tentativa de banimento, a China transformou a mineração e utilização de criptoativos, que não sejam a própria criptomoeda da China o yuan digital, em crime. A China era responsável por mais de 85% da mineração de Bitcoin do planeta, tornando a ideia principal de descentralização um pouco abalada, ou seja, o “Banimento” foi mais que útil para o Bitcoin, pois ao espalhar a mineração pelo globo, agora de fato possuímos um Bitcoin totalmente descentralizado e livre de qualquer empecilho daqueles que insistem no sistema financeiro tradicional e que em um futuro breve ficarão para história como um sistema arcaico e antidemocrático.

Após a mais essa tentativa da fracassada da China de destruir o Bitcoin, mesmo com uma queda de mais de 50% o ativo obteve o rompimento de Alta histórica (ATH) mais rápida da história do ativo, levando apenas 6 meses para se recuperar e se superar.

Alguns analistas preveem, altas atingindo incríveis US$450K até o final de 2021 e na pior das hipóteses US$150k. A verdade é: O céu é o limite, uma vez que não há mais resistências a serem superadas.

O Bitcoin, é uma criptomoeda criada pelo povo e para o povo. Totalmente descentralizada e livre de quaisquer ataques, sejam cibernéticos, sejam políticos, conforme a sua própria história comprova. A única coisa certa é que o Bitcoin parece uma massa de pão, que quanto mais apanha, mais cresce.

Após, falas positivas dos presidentes da SEC e do FEC nos Estados Unidos, o primeiro ETF da maior e principal criptomoeda do mundo foi aprovado, tornando assim este ano ainda mais promissor e histórico para o Bitcoin.

Vamos lembrar alguns assuntos relacionados ao Bitcoin neste ano.

  • Atingiu sua alta histórica após o último Halving
  • Pela primeira vez na história se tornou moeda de curso legal em um país soberano. (El Salvador)
  • Foi “banido” pela China
  • Desvalorizou mais de 50%
  • Baleias gigantes adormecidas, voltaram a movimentar seus BTCs
  • Primeiro ETF de Bitcoin nos EUA, que já era requisitado há sete anos, permitindo que contratos futuros de Bitcoin sejam negociados na NYS
  • Bitcoin supera sua última alta histórica em apenas 6 meses após cair mais de 50%
  • Bitcoin ultrapassa os US$66.900K formando sua nova ATH

Todas essas questões e superações estão fazendo com que céticos e ultrapassados analistas do mercado financeiro tradicional, que eram contra o Bitcoin, ou não acreditavam no ativo chamando-o de “bolha”, em sua grande maioria, voltem atrás e admitam que o Bitcoin de fato é o futuro e que é um ativo sólido livre de influencia política e capitalista que veio para ficar.

“Ou se adapta, ou fica para trás”

Altas históricas

Historicamente, sempre após um halvin o Bitcoin superar suas altas anteriores, porém sempre levou um certo tempo para isso.

A alta de US$1163 de 2013 levou cerca de quatro anos para ser superada em março de 2017. Já a de 2017 de cerca de US$20K levou três anos para ser superada em 2020, o que levou a analistas a acreditarem que o tempo levado para essas superações de altas iriam de fato diminuir conforme o ativo se tornasse ainda mais popular e difundido. O que ninguém previu é que esse lapso temporal cairia de três anos para apenas seis meses.

Este curto espaço de tempo entre o topo histórico de abril, o rompimento e nova alta histórica de hoje, é um território completamente desconhecido por todos e que pode indicar novos rumos para o Bitcoin e para todo o mercado de criptoativos, tornando um investimento de menor risco e de maior utilização pela população, virando a página de séculos de domínio de Bancos e políticos que determinam valores de suas moedas e minérios, manipulando inflações e brincando com o dinheiro do povo.

O que esperar do Bitcoin?

Desde sua criação, o Bitcoin vem superando expectativas, quebrando barreiras e destruindo opiniões de velhos e preconceituosos analistas.

Em toda a sua trajetória, mesmo após pequenos abalos, o ativo demonstrou firmeza e segurança, sempre mantendo uma macro-tendência de alta. Com isso surgiram as Altcoins, que ao exemplo do BTC, vêm se superando a cada dia e seguindo os passos da principal criptomoeda. Como já supracitado, alguns analistas preveem uma incrível alta, onde o Bitcoin poderá atingir cerca de US$450K na melhor das hipóteses e cerca de US$150K na pior das hipóteses ainda este ano.

O que nos resta é aguardar e lembrar que o Bitcoin sempre se supera e que trabalha ainda melhor sob pressão. E que somos privilegiados pois estamos fazendo parte de algo histórico. que será o futuro da humanidade, onde em uma ótica otimista, a desigualdade irá se findar e a pata do Estado finalmente será retirada de nossas costas.

O futuro é logo ali!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.