Fundação Ethereum “cancela” Ethereum 2.0

A Fundação Ethereum anunciou que o termo “Ethereum 2.0” está sendo alterado para “camada de consenso”. A versão 2.0 da segunda maior rede em blockchain do mundo visa resolver os problemas de escalabilidade do Ethereum, para que a rede possa se tornar um “computador global” para a humanidade.

O novo nome reflete o fato de que o Ethereum 2.0 é realmente mais uma atualização de rede do que uma rede totalmente nova. Uma das mudanças mais significativas será a transição para o algoritmo de consenso de Prova de Participação (Proof of Stake), que elimina o processo de mineração.

O Eth1 será conhecido como a “camada de execução” e o Eth2 será a “camada de consenso”. Enquanto a camada de execução é onde residem todos os contratos inteligentes e regras de rede, a camada de consenso garante que todos os dispositivos que contribuem para a rede estejam agindo de acordo com as regras – e penalizando aqueles que não o fazem. 

Juntas, as duas camadas se fundirão no Ethereum depois que a camada de consenso estiver pronta para substituir o sistema de mineração atual. Como a Ethereum Foundation, uma organização que ajuda a coordenar e financiar o Ethereum, observa em sua postagem no blog, essa mudança ocorreu organicamente.

A fase 0 do que antes era chamado de Ethereum 2.0, a cadeia de beacon, foi lançada em dezembro de 2020. Ela foi projetada para coordenar o staking, um processo pelo qual os usuários do Ethereum bloqueiam seu ETH em um contrato inteligente. Em troca, eles ganham um rendimento em seu investimento.

Mas a cadeia de beacon estava pronta bem antes de outros elementos do Ethereum 2.0, todos os quais levaram ao que a fundação chama de “um renascimento das iniciativas de pesquisa na cadeia de prova de trabalho”. 

Por fim, o desenvolvedor Danny Ryan postulou uma maneira de o software cliente do Ethereum atual acelerar a mudança para a prova de participação sem ter que migrar para fora da rede atual.

De fato, os desenvolvedores do Ethereum estão se afastando silenciosamente da terminologia Eth2 desde o verão passado, à medida que as especificidades do movimento de prova de participação entraram em foco mais claro.

Embora nada realmente mude em termos do roteiro do protocolo, a fundação afirma que o rebrand ajudará a evitar fraudes, como pessoas sendo enganadas por aqueles que lhes dizem para trocar seu ETH por ETH2.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.