Polícia apreende pendrive de grupo hacker com 4 milhões em bitcoin

As forças de segurança apreenderam dos réus 300 milhões de rublos, 950 mil dólares e 1 milhão de euros em dinheiro. A polícia também conseguiu confiscar um pendrive que continha acesso a uma carteira de bitcoin com aproximadamente 19,9 Bitcoins, cerca de R$ 4,1 milhões.

Bot para BetFair com 98% de Assertividade

Recentemente a polícia e autoridades da Rússia começaram uma campanha contra hackers que atuaram dentro e fora do país. Entre os alvos dessas investigações estava o grupo conhecido como REvil, que fez vítimas de ransomware nos EUA e chegou até mesmo a ter uma recompensa oferecida por quem conseguisse informações que levasse à prisão dos membros do grupo. 

De acordo com informações locais, as autoridades do país continuam investigando o caso do grupo de hackers REvil, acusado de roubar dinheiro de cidadãos estrangeiros em diferentes países, sempre utilizando ataques ransomware.

As notícias apontam que uma grande quantidade de dinheiro fiat em rublos russos, dólares e euros foi apreendida durante as investigações aos supostos envolvidos com grupo. Além do dinheiro, a polícia encontrou e confiscou quase 20 bitcoins, de acordo com o chefe do Departamento de Investigação do Ministério de Administração Interna, Sergei Lebedev.

4 milhões em Pendrive

As forças de segurança apreenderam dos réus 300 milhões de rublos, 950 mil dólares e 1 milhão de euros em dinheiro. A polícia também conseguiu confiscar um pendrive que continha acesso a uma carteira de bitcoin com aproximadamente 19,9 Bitcoins, cerca de R$ 4,1 milhões.

De acordo com o Serviço Federal de Segurança, FSB, membros do grupo desenvolveram um programa malicioso que ajudou a roubar dinheiro das contas bancárias de cidadãos estrangeiros, com um malware capaz de atacar redes inteiras, roubar dados, bloquear acessos e até mesmo afetar carteiras de criptomoedas.

Ainda segundo as notícias locais, diferentes membros do grupo foram presos durante as operações do FSB, com prisões realizadas em Moscou, São Petersburgo e Lipetsk.

Um processo criminal foi iniciado contra os hackers nos termos da Parte 2 do artigo 187 do Código Penal da Federação Russa (aquisição e armazenamento de fundos eletrônicos derivados de transferência ilegal de fundos feita por um grupo organizado).

De acordo com a lei do país, eles podem pegar até sete anos de prisão pelo crime.

Com ataques a grandes nomes do mercado mundial, como a JBS, o grupo ReVIL causou certo pânico para a equipe de TI dessas companhias e alertou até mesmo autoridades de segurança do mundo todo.

No entanto, desde o auge desses ataques e um esforço conjunto das autoridades internacionais para desmantelar o grupo, os seus ataques diminuíram consideravelmente e é possível que a polícia tenha apreendido todos os membros ativos do grupo criminoso.

Ao que tudo indica, as investigações ainda continuam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.